Mensagem do Presidente

 

MensagemPresidente

Transcrevemos na íntegra a Intervenção feita pelo Sr. Presidente da Junta de Freguesia de Sarilhos Grandes, Joaquim Batalha, por ocasião da celebração do 169º aniversário da freguesia de Sarilhos Grandes, dia 18 de abril de 2017.

«

Exmº Sr. Presidente da Câmara Municipal do Montijo
Exmªs Senhoras e Senhores Vereadores
Exmº Sr. Presidente e membros da Assembleia de Freguesia
Exmºs membros de Juntas e Assembleias de Freguesias do Con-celho do Montijo
Restantes membros do Executivo da Junta de Freguesia
Exmºs convidados 
Digníssima população Sarilhense

Muito Boa Noite a todos, obrigado pela vossa presença, sejam bem-vindos às comemorações do centésimo sexagésimo nono aniversário da Freguesia de Sarilhos Grandes. 

A comemoração de um aniversário, para além de ser um dia de festa é também um dia em que normalmente, fazemos alguma reflexão e balanço do que foi o tempo passado, mas também se perspetiva o futuro, porque o futuro é o amanhã.

Sarilhos Grandes é uma Freguesia que todos reconhecem como parte integrante do Concelho do Montijo, situada na zona sul da sede do Concelho com cerca de 12 Quilómetros quadrados e pouco menos de 3.500 habitantes. 
Nos censos de 2011, as mulheres constituíam uma maioria com cerca de 53% da população e os homens eram cerca de 47% da população Sarilhense. 
As mulheres têm muita influência na vida quotidiana desta Fre-guesia, podemos vê-las, nas Associações e colectividades, nas escolas e jardins-de-infância, no comércio local, na restauração, na agricultura, na floricultura e nos serviços. 
A maioria das interpelações ao presidente da Junta de Freguesia foram feitas até agora por mulheres, o que demonstra que as mulheres se interessam pelos problemas da sua terra e estão dispostas a mostrar a sua atitude para a resolução dos proble-mas existentes.

A todas as mulheres da nossa Freguesia, uma saudação especial o nosso muito obrigado pelo seu trabalho, pelo seu poder críti-co e interventivo em prol da Freguesia.

Minhas senhoras e meus senhores,
Sarilhos Grandes é uma localidade das 8 existentes no Concelho e que está integrada nas cinco Freguesias agora existentes por agregação forçada de algumas. 
Sarilhos Grandes tem um problema demográfico em grande parte provocado por décadas e décadas de falta de investimen-to ou estratégia de desenvolvimento para a própria Freguesia.
A freguesia de sarilhos Grandes é vista pelos seus moradores, como uma localidade onde falta quase tudo, vias de acesso al-ternativas, estruturas de ensino dignas, estruturas desportivas, estruturas de lazer, estruturas para a juventude, estruturas para os idosos, estruturas de apoio ao trabalho da autarquia local, estruturas de apoio ao desenvolvimento económico e ao em-prego, transportes públicos condignos, estruturas de apoio à saúde e bem-estar, entre outras.
Estas faltas provocam inevitavelmente a não fixação de popula-ção nesta freguesia, que cada vez envelhece mais, a par com a habitação abandonada ou degradada, com reflexo no fecho de escolas e pela deslocação de crianças e as suas famílias para as freguesias e concelhos vizinhos onde essas estruturas existem.
Muitos de vós se interrogam porque é que isto acontece a Sarilhos Grandes?
Perderam-se muitas décadas de desenvolvimento sustentado e integrado do Concelho do Montijo e do qual faz parte Sarilhos Grandes, foram décadas de tratamento discriminatório e de iso-lamento e nunca se encarou as potencialidades desta Freguesia a nível do poder Local e Nacional. 
Não se acautelaram as nossas potencialidades ambientais, a nossa localização privilegiada com o rio e o campo.
Em suma, nunca fizeram e não deixaram fazer, uns porque a si-tuação financeira nacional naquele momento não era favorável ao investimento publico, outros por opção política decidiram não colocar Sarilhos Grandes no seu roteiro orçamental, e ainda outros por retaliação politica ao poder democraticamente eleito na Freguesia não ser igual ao maioritariamente eleito no conce-lho, penalizaram Sarilhos Grandes e os Sarilhenses.

Sarilhos Grandes e os Sarilhenses não mereciam nem merecem isto, precisamos de transformar a mentalidade do poder autár-quico local, para que seja reposto o que foi esquecido para Sari-lhos Grandes e que sejam aproveitadas as potencialidades de Sarilhos Grandes para o desenvolvimento do Concelho. 
Se assim for estaremos a olhar para as pessoas, e o que é im-portante, são as pessoas.

Minhas senhoras e meus senhores, 
Este executivo da Junta de Freguesia termina o seu mandato es-te ano no seguimento do acto eleitoral que se vai realizar no próximo dia 1 de Outubro. 
Urge fazer aqui e agora, um pequeno balanço da nossa activi-dade nestes quase três anos e meio do nosso mandato. Em primeiro como todos sabem, o Executivo da Junta é composto por 3 elementos, não temos tempos inteiros nem parciais insti-tuídos, mas estamos 2 elementos na autarquia a quase tempo inteiro e um a tempo parcial por opção da sua vida profissional.
O quadro de pessoal da Junta de Freguesia é composto por 3 trabalhadores, duas administrativas e um técnico operacional com a categoria de jardineiro.
Estão alocados à nossa freguesia, mais 6 trabalhadores, técni-cos operacionais da Câmara municipal do Montijo, para a con-cretização das transferências de competências firmadas no Acordo de Execução entre a Junta de Freguesia e a Câmara Municipal.

Estes três anos e meio de trabalho árduo, quer do Executivo quer dos Trabalhadores, foi pautado por diversas contingências e opções de gestão, para podermos levar a bom porto todo o nosso programa eleitoral que nos comprometemos com o povo Sarilhense.
A primeira fase do nosso mandato foi conturbada, porque apa-nhamos uma Freguesia que foi abandonada ao seu destino pela CMM durante 4 anos, sem meios financeiros, humanos e técni-cos, e sem qualquer investimento durante esse período. 
Essa primeira fase foi de consolidação das contas, realização de um acordo de Execução que só teve início 3 meses depois da nossa tomada de posse e que ainda até hoje, não foi cumprido na sua plenitude.
Concretizámos acordos de regularizações de dívidas a fornece-dores e entidades públicas (CGA e ADSE), que herdamos, alguns já terminaram, outros vão terminar até ao final do nosso man-dato, outros vão ser formalizados e irão decorrer ainda durante o mandato seguinte, estes últimos referem-se a dívidas aos Executivos da Junta de Freguesia do mandato anterior e do ac-tual. 
É nosso objectivo deixar a Junta de Freguesia em condições de poder cumprir com todas as suas obrigações e projetar-se no futuro para dar resposta às suas necessidades.

Na segunda fase, foi a recepção dos trabalhadores alocados à Freguesia pela CMM, com a assinatura do acordo de Execução em Agosto de 2014, foi preciso responsabilizar e planear traba-lho, mas sem os meios técnicos prometidos para a prossecução total das tarefas diárias, foi mais uma dificuldade que teve de ser ultrapassada, pelo Executivo da Junta de Freguesia não ti-vemos abertura da CMM para dotar esta Freguesia dos meios técnicos nomeadamente, de uma carrinha de 3500 kg com grifo e báscula, nem de um trator. 
Para superar esta situação em Janeiro de 2015 o Executivo da Junta de Freguesia decidiu doar à Junta de Freguesia uma carri-nha de 3500Kg, único equipamento que tivemos até agosto de 2016, altura em que recebemos o trator e equipamento prome-tido e um cartão para aquisição de gasóleo.
Continua a ser prioridade desta Junta de Freguesia a limpeza urbana e rural, nomeadamente a recolha do lixo grosso, tarefa árdua para os nossos trabalhadores que tiveram e têm de car-regar todo o lixo manualmente e em duplicado, para um con-tentor que temos no local do lavadouros, com o problema de se encher quase todos os dias e a empresa que faz a sua recolha não conseguir dar resposta, provocando ruturas de recolha des-se tipo de lixo e descoordenando o trabalho programado.
Esta situação poderia ser resolvida se tivéssemos autorização da CMM para fazer o despejo desse lixo na lixeira municipal. Como têm os serviços municipais que fazem esse trabalho em outras freguesias do Concelho.
Já passaram pelas mãos dos nossos trabalhadores na Freguesia mais de 5.000 toneladas de lixo grosso. 
Queria aproveitar aqui, para fazer um apelo a todos os morado-res da Freguesia, para não colocarem lixo de qualquer tipo junto dos contentores na via pública. Contactem a Junta de Freguesia que nós procuramos articular a recolha dos lixos diretamente das vossas habitações, facilitando o nosso trabalho e pela defe-sa do meio ambiente
A par de todas as tarefas de limpeza, conseguimos dar resposta a todos os itens que constam no acordo de Execução firmado com a CMM, com destaque para a resposta rápida a pequenas reparações na nossa Escola Básica e Jardim de Infância.
Não conseguimos fazer a manutenção dos nossos parques in-fantis, porque os mesmos não nos foram entregues com o acordo de execução com as reparações devidas e em condições de podermos proceder à sua manutenção regular. Ainda esta-mos à espera dessas reparações!
Retardámos o corte de ervas na Freguesia, que ainda agora são visíveis, por força de não nos ser possível aplicar herbicidas apos o corte das mesmas, por não existir as condições técnicas e au-torização para a sua aplicação.
O corte de ervas ficou ainda atrasado pela diminuição de pesso-al, devido a baixas por doenças prolongadas de dois trabalhado-res e que até ao momento não foram substituídos temporaria-mente pela Câmara Municipal.


Pedimos mais um pouco de paciência a todos os Sarilhenses, estamos a cortar as ervas e a limpar toda a Freguesia com os meios que temos, esperamos que a Câmara Municipal reconhe-ça o trabalho que estamos a desenvolver e procure apoiar uma solução já pedida que resolva a reposição do número de traba-lhadores alocados na Freguesia.
Minhas senhoras e meus senhores
Mas o nosso trabalho não se ficou por aqui, durante este man-dato, apesar das nossas dificuldades o rigor orçamental e o con-trolo sistemático das nossas contas, ainda permitiu fazer algum investimento, dos quais destacamos entre outros os apoios ao nosso movimento associativo.
Apostámos no fomento da unidade de todo o movimento asso-ciativo para a concretização de iniciativas conjuntas, para dar outra dimensão ao valor colectivo em prol da nossa terra. 
O movimento associativo tem um papel importante na concre-tização do desenvolvimento de Sarilhos Grandes, pela nossa parte estamos a fazer tudo para que seja visível o seu trabalho dando a centralidade e todo o protagonismo ao trabalho desen-volvido pelas mulheres e homens que compõem as suas Direc-ções e aos colectivos de associados. 
Gostaríamos de destacar os seguintes apoios e protocolos efec-tuados: 
-Com a Associação de Reformados Pensionistas e Idosos de Sa-rilhos Grandes a concretização de um protocolo, para a organi-zação das Marchas Populares de Sarilhos Grandes. 
-O protocolo com a AMUT para a criação e fomento de um coro infantil, apoio em transportes a título gratuito, para deslocações e actividades da sua banda, escola de música, etc. 
-Apoio da Junta de Freguesia ao Juventude Futebol Clube Sari-lhense, na disponibilização de transportes a titulo gratuito para a deslocação de atletas nas competições de futebol e ciclismo, para além do apoio às obras nas suas instalações, desportivas e da sede.
-O desafio lançado pela Junta de Freguesia de realização de uma festa da Gastronomia e da flor na Lançada, acolheu do Vasco da Gama da Lançada e de todo o movimento associativo da fre-guesia o apoio para a sua concretização, começou por ser uma festa muito improvisada com os parcos meios existentes, mas desde logo com o reforço dos apoios da Junta de Freguesia e da Câmara Municipal, já se encontra na 3ª edição com dimensão em crescendo e já com uma comissão de festas própria de ho-mens e mulheres dinâmicos, que querem lançar o nome da Lan-çada e de Sarilhos Grandes para fora das nossas portas. Tam-bém ao clube do Vasco da Gama da Lançada a Junta de fregue-sia disponibilizou a título gratuito transportes para as provas de atletas e outros serviços do clube, para além do apoio a obras realizadas na sua sede.
A Comissão de Festas de S. Jorge, tem tido todo o apoio possí-vel desta Junta de Freguesia, com destaque para o apoio logísti-co, administrativo, financeiro e de isenção de taxas. Reconhe-cemos o trabalho excelente das mulheres e homens que de ano a ano levam por diante as nossas Festas tradicionais em Honra de S. Jorge, ex-libris de Sarilhos Grandes e que traz a Sarilhos Grandes milhares de visitantes. 
A Comissão Social de Sarilhos Grandes, tem tido alguns proble-mas de reorganização, reconhecemos a tarefa de quem em re-presentação da paroquia de S. Jorge nunca deixou de dar o apoio aos mais necessitados da nossa Freguesia, e por parte da Junta de Freguesia temos dado o apoio possível numa das ac-ções de importância reconhecida que é o transporte de alimen-tos do banco alimentar para as famílias mais necessitadas da Freguesia, com a cedência de uma carrinha com motorista e apoio administrativo. 
Ao movimento associativo e Comissão Social e a todos os ele-mentos das suas Direcções e Associados o nosso muito obriga-do, pelo trabalho desenvolvido em prol da nossa terra.

Minhas senhoras e meus senhores, 
Gostaria também aqui realçar o trabalho desenvolvido e apoio na área educativa, para além do que está definido no acordo de execução com a Câmara Municipal do Montijo e ainda com os nossos parcos recursos ultrapassamos as nossas competências, com o seguinte: para o Jardim de Infância, o pagamento do ser-viço mensal de Internet, adquirimos ainda e colocamos, um abrigo para brinquedos, uma impressora e um ar condicionado, ainda mesmo não sendo da nossa competência, procedemos à limpeza regular do espaço exterior de recreio das nossas crian-ças. 
Na escola básica de Sarilhos Grandes, temos cumprido e supe-rado com o acordado com a CMM, não sendo da nossa compe-tência temos limpo com regularidade o espaço exterior de re-creio da escola e espaço desportivo, para além da reparação de alguns brinquedos de parque infantil existente.
Reparamos tudo o que diz respeito a torneiras e autoclismos e colocamos dispensadores de papel e de líquido de lava mãos em todas as casas de banho da escola. 
Apoiamos e criamos actividades com parceria da área educativa nomeadamente: a realização de uma Reunião de Assembleia de Freguesia de jovens da Escola básica, o torneio anual de futebol infantil, o concurso anual de trabalhos escolares, apoiamos os desfiles de Carnaval, realizamos espectáculo de Natal, e este ano vamos realizar a primeira corrida de trotinetes. Gostaría-mos de proporcionar muito mais actividades para as escolas e para as nossas crianças, mas os nossos meios não nos permi-tem fazer muito mais. 
Para a melhoria do espaço do recreio da nossa Escola apresen-támos uma proposta à CMM de comparticipação do seu relva-mento que não foi considerada.
Apoiamos também os moradores e suas comissões específicas, nomeadamente a Comissão de moradores pela requalificação do jardim do bairro novo, através da apresentação à CMM de um projecto efectuado por uma arquiteta da nossa Freguesia que se disponibilizou em trabalhar gratuitamente para esse efeito.


Estamos a aguardar pela CMM a requalificação daquele espaço.
Adquirimos 5 espelhos parabólicos, para colocação em lugares específicos, adquirimos 14 bancos de jardim para substituir os existentes e que não se encontram em condições de ser recupe-rados. Já foram aplicados 4 na Lançada e 3 junto á Igreja.
Quanto ao futuro da nossa Freguesia, nunca abdicamos de apresentar as nossas propostas e a nossa visão sobre Sarilhos Grandes.
Temos feito o nosso trabalho de casa, sabemos o que Sarilhos Grandes precisa para se desenvolver de forma integrada no Concelho a que pertencemos.
Já aqui enunciei no início as causas do nosso atraso, mas a par-tir de agora quero enunciar os caminhos possíveis do nosso de-senvolvimento, sendo o primeiro objectivo a fixação das famí-lias na nossa Freguesia e no nosso Concelho, para isso temos de lhes dar melhores condições de vida, aproveitando todos os re-cursos existentes e criando novos.
Temos as condições extraordinárias de ligação ao rio, potenciar essa ligação é importante, não podemos estar de costas volta-das para o rio e a estragar o rio, todos temos o direito de usu-fruir dele e defende-lo dos ataques ambientais que ultimamen-te tem sofrido.
Este rio não pode ser só de alguns, tem de ser de todos. Temos de o aproveitar para actividades de lazer, turismo, para a piscicultura e pesca etc.

Nesse sentido este ano o dia Solidário da Freguesia, promovido e apoiado pelo movimento associativo e Junta de Freguesia, que se realizará no próximo dia 29 de Abril, será de limpeza de uma parte da nossa zona ribeirinha que tem sido barbaramente atingida por pessoas sem escrúpulos e que utilizam o rio e as suas margens como a sua lixeira. 
Fazemos um apelo para quem quiser participar já se pode ins-crever na Junta de Freguesia, o ambiente vai com certeza agra-decer-nos 
Temos uma zona rural, que não está aproveitada em toda a sua extensão, devemos privilegiar a agricultura familiar e a procura de culturas que preservem as nossas terras e que criem mais-valias para a nossa Freguesia, criando mais empregos.
Temos um património edificado que precisa de ser preservado, a nossa igreja matriz, o nosso coreto, o nosso moinho de maré da Lançada símbolo da nossa Freguesia, que deve ser restaura-do rapidamente, a par dos nossos lavadouros, os nossos chafa-rizes, a nossa junta de freguesia, as nossas escolas, duas delas em estado de degradação, os edifícios das nossa colectividades etc. 
Com a preservação de todo este nosso património podemos concretizar um roteiro turístico importante para o desenvolvi-mento da nossa freguesia.
Temos de fomentar a instalação de empresas com actividades económicas não poluentes na nossa freguesia, para criação de novos postos de trabalho que permita a fixação e aumento da população Sarilhense.
Precisamos de dotar as nossas escolas e jardim-de-infância de melhores condições para a prática do ensino e de forma a não fomentar o insucesso escolar. 
Precisamos de ter espaços desportivos em condições nomea-damente um pavilhão desportivo e um campo de futebol relva-do, 
Precisamos de uma zona de lazer com um espaço verde, com jardim infantil e geriátrico,
Precisamos de um centro de dia para idosos, uma extensão de centro de saúde, e um lar público para idosos.
Precisamos de construir uma via de acessos rodoviários alterna-tiva para Sarilhos Grandes e melhorar os serviços de transportes públicos. 
Precisamos de dotar a Junta de freguesia de mais meios huma-nos equipamentos e instalações para dar melhores respostas às necessidades da população. 

O que acabei de enunciar tem de ser realizado num futuro pró-ximo em Sarilhos Grandes, muitos de vós dirão que isto é uto-pia, não, não é utopia isto é o que por direito os Sarilhenses já deveriam ter à muito tempo, sim já deveríamos ter algumas destas infraestruturas e equipamentos na nossa Freguesia. 
Muitos dos Sarilhenses que contactamos em reuniões públicas questionam-nos sobre qual foi o investimento da CMM em Sari-lhos Grandes nestes últimos 8 anos? 
Que obras se realizaram?
Que equipamentos foram feitos de novo? 
A única resposta infelizmente que temos foi 250 m de asfalta-mento de uma rua Fernando Pessoa, 50 metros de calçada na Broega, asfalto para tapar buracos em 100 m na Estrada dos 4 marcos e a pintura do depósito de água.
Minhas senhoras e meus senhores
Não é fácil ser autarca com objectivos únicos de servir, e não sentir nem ter o apoio de um colectivo que deveria olhar para as suas freguesias e neste caso para Sarilhos Grandes, como um espaço integrante do seu Concelho.
Estou muito triste, porque o esforço foi e está a ser enorme quando o que deveria existir era a cooperação entre órgãos au-tárquicos não para favorecer os autarcas, mas para resolver os problemas das populações,
Mas tenho esperança e confiança de que é possível mudar as mentalidades de quem tem o poder financeiro e que se regozija e muito bem da condição financeira da nossa Câmara Municipal.

Sarilhos Grandes sabe o que quer.
Sarilhos Grandes tem futuro.
Viva Sarilhos Grandes 
Viva os Sarilhenses


O Presidente da Junta de Freguesia de Sarilhos Grandes

Joaquim Batalha


18 de abril de 2017

»

Este site usa cookies. Saiba mais.